Por que meu olho coça, arde e lacrimeja em algumas épocas do ano?

Muitas pessoas vêm aos consultórios de oftalmologistas com estas queixas. A questão assume relevante importância em épocas de tempo seco, principalmente no outono e início do inverno.

Condições estas, propícias para a chamada Síndrome do olho Seco. Os olhos, normalmente, possuem um mecanismo de lubrificação natural de sua superfície. Uma perfeita integração entre o ato de piscar e produção de lágrima por glândulas específicas, garantem um ambiente adequado e saudável para o olho. No entanto, certos grupos de pacientes são mais propensos a apresentarem alterações na qualidade e quantidade do filme lacrimal.

Problemas como alergias, variações hormonais, doenças oculares e da margem palpebral (blefarites, por exemplo), grupos etários, ou mesmo achados sem causa aparente, podem trazer sintomas de irritação, coceira, vermelhidão ocular, ardência e sensação de areia nos olhos.

Os sintomas, muitas vezes, parecem algo habitual e de fácil manejo. Apenas parecem. Muitos optam pela automedicação, administrando colírios por conta ou orientados por profissionais não habilitados, o que torna o problema crônico e com sequelas em longo prazo, considerando que são tratados de forma irregular e até mesmo, de maneira errada.

É fundamental condutas adequadas para aliviar os sintomas, usando colírios corretos, por um tempo determinado e com acompanhamento médico. Em alguns casos, outras alterações oculares ou sistêmicas devem ser levadas em consideração para uma melhora efetiva e duradoura dos sintomas.

Tanto a Síndrome do olho seco, como doenças alérgicas e conjuntivites nos olhos apresentam excelentes respostas frente a um adequado aconselhamento por parte do médico oftalmologista. Procure seu especialista e converse sobre isto.

 

Autoria de Dr. Jeferson Lautert – CRM: 13823.